Minha primeira bicicleta

Quando você pensa em comprar uma bicicleta, sempre paira a dúvida sobre qual tipo deve comprar. Lembro que comprei minha primeira pela internet em 2005. Era uma MTB básica, mas, não era o meu tamanho, e eu nem sabia que ela deveria me servir como uma roupa. Pensando nisso e nos perrengues que passei até encontrar a bicicleta ideal, resolvi escrever este texto com algumas dicas para você que vai comprar sua primeira bicicleta, ou para quem está pensando em trocar! Antes de decidir, você precisa pensar nos motivos que levam a querer uma bicicleta:

1)      Qual a utilização? Meio de transporte, passeios nos finais de semana, esporte de desempenho como trilhas e estrada?

2)      Quanto tempo ou quilômetros você pretende pedalar por semana com sua bicicleta?

3)      Quanto pretende gastar?

A partir dessas três simples perguntas é possível tomar decisões mais acertadas em relação ao tipo de bicicleta que irá comprar. Para ajudar ainda mais na sua decisão, descrevo aqui os tipos mais comuns e sua utilização.

Mountain Bike – É a bicicleta que a maioria dos iniciantes no ciclismo opta na primeira compra. É versátil, adapta-se a diversos tipos de terrenos. Ótima para pegar subidas mais íngremes, pois não exige tanta força no pedal, mas, por outro lado, não atinge altas velocidades. Mas fique atento, pois existem vários tipos de Mountain Bike: com e sem suspensão, de carbono, de alumínio, aro, 26, 27,5 ou 29. Se você pretende andar apenas na cidade, para ir trabalhar ou passear nos finais de semana, opte por uma sem suspensão. Agora, se você pretende fazer trilhas, o ideal é que tenha pelo menos uma suspensão dianteira para ajudar a enfrentar as pedras e instabilidades do terreno próprios das trilhas.

Fixa Tenho observado que a quantidade de bicicletas fixas aumentou consideravelmente nas ciclovias de São Paulo. É uma bicicleta que tem o pinhão fixo. Para quem não sabe, o pinhão é aquela peça que fica na roda de trás da bicicleta. Numa Mountain Bike, por exemplo, você observa que existem vários “pinhões” e que juntos formam o que chamamos de K7 (cassete), ou catraca. Numa bicicleta fixa, só existe um pinhão e ele é fixo. Este tipo de bicicleta requer um pouco mais de habilidade e atenção na pedalada, pois, se você parar de pedalar, vai ser ejetado. Outro possível desconforto é que, com apenas uma relação, você pode ter dificuldade em terrenos com muita subida e/ou descida. O legal da fixa é que, com treino e técnica, sua pedalada ficará bem mais eficiente.

Road/Estrada/SpeedEsse tipo de bicicleta é feita para velocidade. Portanto, normalmente são adquiridas por ciclistas que querem andar uma quilometragem mais longa e usar a bicicleta como prática esportiva. Os seus pneus são finos e tem uma pressão alta, em média 100 a 120psi. As bicicletas de estrada também tendem a ser mais leves e respondem mais rápido às acelerações. Mas, nada impede de você ter uma para andar na cidade, principalmente se você tiver que pegar vias de trânsito rápido para se deslocar. Muitas pessoas têm receio de comprar uma bicicleta de estrada logo de cara, pois pensam que o pneu fino pode trazer mais instabilidade e podem ser mais escorregadias: ledo engano. Normalmente, as pessoas tem medo porque o pneu é mais fino, mas, o que não quer dizer que são menos aderentes que os outros.

 

Urbana –São ideais para quem quer usar como meio de transporte dentro da cidade e passeios leves. São confortáveis, podem acoplar bagageiro, cestinha, buzina, farol etc. Tem pneus mais finos que a Mountain Bike, o que proporciona uma eficiência maior no asfalto. Seu selim e o guidão (mais alto) permitem uma posição mais confortável. Ela perde no desempenho, portanto, não é indicada na prática do ciclismo como esporte.

Agora que você já conhece os tipos mais comuns, pode adquirir sua bicicleta com segurança!

Boas pedaladas!

 

Gisele Gasparotto